Após dez dias de manifestação, motoristas não entram em acordo com a Viação São Luiz

Os motoristas reivindicam o pagamento de salários – atrasados há cerca de cinco meses – e também dos tickets alimentação. Segundo os motoristas a empresa ofertou apenas a baixa na carteira de trabalho

Publicado em
Após dez dias de manifestação, motoristas não entram em acordo com a Viação São Luiz

TRÊS LAGOAS (MS) – Após cerca de 10 dias de manifestações dos motoristas da Viação São Luiz na sede da empresa, em Três Lagoas (MS), o grupo voltou para as cidades de origem sem um acordo. Segundo os trabalhadores, a empresa apresentou uma oferta nada agradável para tentar solucionar o problema. Os motoristas reivindicam o pagamento de salários – atrasados há cerca de cinco meses – e também dos tickets alimentação.

Segundo o relatado pelos trabalhadores que estavam no protesto, a empresa teria oferecido apenas dar baixa na carteira de trabalho, para que os motoristas tivessem como sacar o seguro desemprego. De acordo com o grupo, a empresa não efetua o pagamento dos salários desde janeiro deste ano e o ticket alimentação também não é creditado aos funcionários há 14 meses. Os motoristas dizem até mesmo abrir mão dos demais direitos trabalhistas, desde que a empresa quite com os valores referentes aos dias trabalhados e tickets. Segundo eles, o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) também não foi depositado.

 
 
Segundo relatado pelos trabalhadores, no último dia 05 de junho, a Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) esteve no local fazendo registros fotográficos das condições dos trabalhadores. Os motoristas ainda foram até a residência do proprietário da empresa, mas não foram atendidos.

Diante das dificuldades finaceiras, para honrarem seus compromissos e até mesmo comprarem alimentos, um grupo de motoristas de Campo Grande (MS) e Cassilândia (MS), veio até Três Lagoas (MS) para unirem forças com os motoristas locais, na expectativa de receberem seus salários e benefícios.
 
A Secretaria Municipal de Assistência Social atendeu ao pedido dos trabalhadores e anunciou que poderia ajudar com a doação de cestas básicas, devido à necessidade das famílias. A Rádio Caçula também se fez presente e doou algumas cestas de café aos trabalhadores.
 
A reportagem entrou em contato com a direção da empresa para colher informações sobre as denúncias de atrasos salariais e de benefícios de alimentação. No entanto, até o fechamento desta matéria não nada foi informado sobre o assunto.

Fonte: Redação

00

Deixe um comentário